Desavença no trânsito quase termina em tragédia no Jardim Primavera

Uma desavença na noite desta sexta-feira (29), por pouco não terminou em tragédia no bairro Jardim Primavera em Três Pontas. Um açougueiro de 40 anos disparou contra uma família, inclusive uma criança e quase atingiu pessoas que estavam em uma mercearia, na Avenida Senador Josino de Brito.

De acordo com a Polícia Militar, um casal de jovens de 22 e 20 anos, mais a irmã do condutor e seu filho de 8 anos de idade haviam acabado de sair de um supermercado e estavam indo para casa. No final da Rua Tupã no bairro Vila Marilena, haviam veículos estacionados dos dois lados da via, foi quando ele encontrou com um açougueiro em um carro seguindo no sentido contrário. Ele teve que parar porque a preferência não era dele e o jovem passou. Ao ficar lado a lado com o carro do açougueiro, este lhe perguntou o que havia acontecido, o jovem respondeu que nada e seguiu. Ele estacionou em frente a mercearia da irmã e sua esposa saiu para descer a compra.

O açougueiro com um passageiro do lado veio atrás tirar satisfação. Sem falar mais nada e sem descer do carro, um Uno, sacou uma arma e efetuou dois disparos que atingiram a porta do passageiro. Um deles ainda atingiu a parede da mercearia, onde do lado de fora haviam várias pessoas bebendo. Em seguida, o açougueiro saiu em alta velocidade em direção ao bairro Aristides Vieira. A esposa do jovem ficou tão assustada que entrou em estado de choque e precisou ser amparada pelos familiares.

A PM foi chamada, conseguiu identificar o veículo, depois o passageiro que estava com ele e por último o motorista. As guarnições dos dois turnos de serviço se empenharam ao máximo. Eles foram até a casa dele na Rua Padre Artur Costa Campos, no bairro Aristides Vieira e fizeram a sua prisão em flagrante.

O açougueiro foi reconhecido pelas vítimas e as testemunhas. Disse que havia ido trabalhar de moto, admitiu que havia discutido com um rapaz no trânsito, mas negou qualquer envolvimento nos disparos. Bastante calmo, o suspeito dizia aos policiais que não tinha arma. Os militares fizeram buscas no imóvel e encontraram um revólver calibre 38 com cinco munições intactas dentro de uma porchete que estava escondida atrás do guarda roupas em um dos quartos da residência. A arma estava com a numeração raspada.

Depois disso, o suspeito revelou que havia retirado as cápsulas deflagradas em uma casinha que fica nos fundos do imóvel. Lá, os PM’s encontraram três cartuchos deflagrados calibre 38 e duas calibre 32.

A Perícia da Polícia Civil esteve no local dos disparos. O suspeito teve o veículo apreendido e removido para o pátio do Detran-MG. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de plantão de Varginha, onde teve a sua prisão ratificada em flagrante.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Faça seu pedido