Padre Vitor

Beato Francisco de Paula Victor (Campanha12 de abril de 1827 – Três Pontas23 de setembro de 1905) foi um sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana que viveu de forma heroica o seu ministério e faleceu com fama de santidade. Teve a sua beatificação autorizada pelo Vaticano após o reconhecimento de um milagre alcançado por sua intercessão. A cerimônia oficial de beatificado ocorreu em 14 novembro de 2015 em Três Pontas (MG), sendo Sua Santidade representada pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação da Causa dos Santos. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 23 de setembro.

Infância

Francisco de Paula Victor nasceu na cidade de Campanha em 12 de abril de 1827, e foi batizado em 20 de abril do mesmo ano. Era filho da escrava Lourença Maria de Jesus.

Sacerdote

Em 1848, D. António Ferreira Viçoso, bispo de Mariana – MG, visitou a cidade de Campanha onde foi procurado pelo então alfaiate Francisco de Paula Victor, que lhe manifestou a vontade de seguir a vida religiosa. Assim, em 5 de junho de 1849, Francisco entrou para o seminário na cidade de Mariana. Em 14 de junho de 1851, Francisco foi ordenado padre e regressou à sua cidade natal.

Três Pontas

Em 14 de junho de 1852, o padre Francisco de Paula Victor foi transferido para a cidade de Três Pontas, onde, de facto, começou os seus trabalhos sociais na cidade. Foi ali pároco durante 53 anos, até à data da sua morte.

A sua dedicação e as suas virtudes fizeram-no admirado por todos, pois assumiu a direção da paróquia com zelo e carinho, colocando-se, assim, acima de todas as críticas. Procurou catequizar e instruir o seu povo, criando a escola “Sagrada Família”. Por lá passaram brasileiros de grande projeção social: D. João de Almeida Ferrão, primeiro bispo de Campanha – MG; Cônego José Maria Rabello, que foi o seu coadjutor em Três Pontas. O padre Francisco de Paula Victor instruiu muitos filhos de famílias humildes, fazendo deles grandes homens de cultura, que passaram a viver da inteligência, nas mais variadas profissões.

O padre Francisco de Paula Victor pregou, pelo exemplo, a fé, a esperança, a fortaleza, a prudência, a justiça, a obediência, a castidade, a temperança, a humildade, o temor a Deus e, sobretudo, a caridade. Amava a Deus na pessoa do seu semelhante, de modo especial nos mais pobres. Os paroquianos, nas suas necessidades, recorriam a ele. Era bom, porém enérgico: “Padre Victor vivia de esmolas e dava esmolas”.

Escola Sagrada Família

Instituição criada por Padre Victor em Três Pontas que visava catequizar a população, em especial aos mais jovens.

Morte

Com o seu falecimento, houve um abalo emocional na região e muitos queriam dar o último adeus ao querido padre. Durante os três dias de velório, o seu corpo exalava um cheiro de rosas, um sublime perfume que não se explicava de onde viria.

Depois de três dias, o corpo fez um cortejo na cidade e foi sepultado na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda, que ele ajudou a construir.

Primeiros milagres

Batismo

Conta a tradição que um dos primeiros milagres foi quando um casal de lavrador foi a igreja levar o seu filho para ser batizado, mas os padres da época cobravam uma taxa que a família não dispunha, então o casal foi para igreja pedir uma luz a Deus, quando deles se aproximou uma pessoa se apresentando como padre e fez o batismo sem custas. O casal comentou sobre o padre com populares e o reconheceu através de uma fotografia de Padre Victor que já havia falecido anos atrás.

Beatificação

Tramitou no Vaticano de 1992 a 2015, o processo de beatificação do padre Francisco de Paula Victor que já está bem avançado. Em maio de 2012, o decreto que lhe concede o título de Venerável foi assinado pelo Papa Bento XVI no Vaticano.[carece de fontes]

A 3 de junho de 2015, os cardeais aprovaram no Vaticano, por unanimidade, um milagre atribuído ao padre Francisco de Paula Victor. O milagre reconhecido foi a cura inexplicável de um morador da cidade. Esta cura já havia sido reconhecida por médicos do Vaticano e por uma comissão de teólogos.

Faça seu pedido